• As Maldivas
  • (1983-1984)

Thor Heyerdahl recebeu uma carta em sua caixa de correio num dia de outono de 1982. O envelope continha uma fotografia de uma estátua de pedra até entao desconhecida do arquipélago das Maldivas, no Oceano Índico. A imagem o persuadiu a iniciar uma expediçao arqueológica para descobrir mais sobre o povo que fez a estátua.

Caption

Nenhum arqueólogo havia visitado as Maldivas desde 1922. Heyerdahl conduziu duas escavaçoes arqueológicas lá, uma em 1983 e outra no ano seguinte. Seu velho amigo e arqueólogo Arne Skjølsvold o acompanhou na expediçao. Dois arqueólogos noruegueses mais jovens também se uniram a equipe, Øystein Koch Johansen e Egil Mikkelsen. Esta seria a primeira de diversas parcerias suas com Heyerdahl.

Heyerdahl e os arqueólogos encontraram grandes morros de pedra no meio de quase todas as ilhas que visitaram. Os morros continham pequenos templos feitos de blocos entalhados de pedra ou coral. Os mais antigos deles tinham sido construídos em 550 d.C.

Heyerdahl e os arqueólogos também encontraram pequenos tanques de pedra próximo aos templos, com escadas cerimoniais levando até dentro deles.

Eles encontraram muitas estátuas de pedra (algumas das quais representavam o Buda), pequenas estupas que decoravam o templo, assim como alguns ladrilhos de pedra com incisões.

Os topos de algumas das estupas eram redondos, o que Heyerdahl identificou como símbolos fálicos.

As descobertas indicavam que as Maldivas tinham sido habitadas tao cedo quanto 550 d.C., quando budistas provavelmente chegaram do Sri Lanka para construir os templos e tanques cerimoniais descritos acima.

Heyerdahl imaginou adoradores do sol da antiga civilizaçao do Vale do Indo chegando as Maldivas através da Índia e do Sri Lanka. A sua teoria encontrou resistencia por parte de outros pesquisadores. Heyerdahl e sua equipe de arqueólogos nao encontraram evidencias que pudessem convencer seus críticos de que eles estavam errados, mas encontraram uma moeda romana de cerca de 90 a.C. As Maldivas sao mencionadas em fontes escritas da era romana – o que prova que a existencia das ilhas era conhecida e que elas foram visitadas por povos do mundo antigo. A teoria de contato com a civilização do Vale do Indo de Heyerdahl não obteve aceitação generalizada.

As Maldivas foram um polo de comércio de conchas de búzios, que eram um meio de pagamento nos tempos antigos. Tais conchas também foram encontradas no norte da Noruega, em túmulos da Idade do Ferro. As Maldivas foram um porto de escala regular durante séculos, usado por navegadores e comerciantes nas rotas de comércio da Ásia e também com ramificaçoes para a Europa.

A expediçao de Heyerdahl ao arquipélago renovou o interesse científico nas Maldivas. Diversas escavaçoes arqueológicas (incluindo algumas por Egil Mikkelsen) foram desenvolvidas no local na esteira das primeiras escavaçoes de Heyerdahl.

Heyerdahl’s Expeditions